Curso gratuito de vírgula (4)

Usos facultativos da vírgula

Regra número 29

A vírgula é facultativa para assinalar a omissão de verbo

EXEMPLOS PRÁTICOS 39

Sabrina trabalha no Inmetro e Carla, no Ibama.

Sabrina trabalha no Inmetro e Carla no Ibama.

Solange gosta de viajar e Mariana, de ficar em casa.

Solange gosta de viajar e Mariana de ficar em casa.

Regra número 30

A vírgula é facultativa antes de “etc.”

Dica número 18: Etc. é a abreviação de et cetera,que significa e outras coisas, e os outros, e assim por diante.


EXEMPLOS PRÁTICOS 40

Farei uma lista com todas as coisas básicas que preciso comprar: água, manteiga, frutas, etc.

Farei uma lista com todas as coisas básicas que preciso comprar: água, manteiga, frutas etc.

Entrei na loja e vi todas as coisinhas que você quer ganhar: camisolas de renda, sutiãs com bojo, calcinhas confortáveis, etc.

Entrei na loja e vi todas as coisinhas que você quer ganhar: camisolas de renda, sutiãs com bojo, calcinhas confortáveis etc.

Regra número 31

A vírgula é facultativa quando o sujeito

é o pronome “quem”

Dica número 19: Alguns gramáticos defendem o uso da vírgula quando o sujeito é uma frase iniciada pelo pronome “quem”, como em “Quem não chora, não mama”, alegando ênfase. No entanto, eu entendo que, nesse caso, a vírgula não é cabível porque quebra a regra de separação de sujeito, já que “quem” é o sujeito da oração “quem não chora” e essa oração é sujeito do verbo “mama”: Quem não mama? Quem não chora (sujeito). Portanto, no meu entender, essa vírgula é descabida e, ao contrário do que dizem os gramáticos, quebra a entonação das frases. No entanto, considero-a facultativa em respeito ao entendimento deles.

EXEMPLOS PRÁTICOS 41

Quem viver verá.

Ou Quem viver, verá.

Quem tem boca vaia Roma.

Ou Quem tem boca, vaia Roma.

Quem não deve não teme.

Ou Quem não deve, não teme.

Quem estuda aprende.

Ou Quem estuda, aprende.

Quem não ama é amargo.

Ou Quem não ama, é amargo.

Quem só espera nunca alcança.

Ou Quem só espera, nunca alcança.

Quem muito dá aos outros se esquece de si.

Ou Quem muito dá aos outros, se esquece de si.

Quem paga com amor recebe amor.

Ou Quem paga com amor, recebe amor.

Quem nos cativa nos ganha o coração.

Ou Quem nos cativa, nos ganha o coração.

Quem quer ganhar dinheiro precisa fazer a sua parte.

Ou Quem quer ganhar dinheiro, precisa fazer a sua parte.

Resumo

NÃO se usa vírgula: 

1. Para separar sujeito e predicado (= o que se diz do sujeito): 

A janela da casa (sujeito) recebia a luz do sol naquela manhã (predicado).

O enorme sofá onde Gabriel costumava brincar (sujeito) virou artigo de museu (predicado).

As garotas mais divertidas da escola (sujeito) estavam no passeio daquelas férias (predicado).

= Observe que não importa o tamanho do sujeito, na ordem direta, não há vírgula entre ele e o seu predicado. 

2. Entre verbo e complemento:

Gabriel discutia (verbo)com os personagens dos jogos (complemento).

A garotinha olhava (verbo) fixamente o vendedor de algodão-doce (complemento). 

Se entendeu essa regra, você já resolveu noventa por cento dos seus problemas com o uso da vírgula, uma vez que o desconhecimento dela é que gera os grandes erros no emprego da vírgula. 

USA-SE vírgula: 

1. Para separar o aposto explicativo:

Recife, a Veneza brasileira, é marcada por suas pontes e rios.

Petrópolis, a Cidade Imperial, é famosa por seus museus. 

2. Para isolar vocativo (termo que chama a atenção):

Mariana, venha logo!

Venha logo, Mariana!

Venha, Mariana, logo! 

3. Para isolar expressões que indicam circunstâncias variadas (tempo, lugar, modo, companhia, etc.) deslocadas ou intercaladas na oração: 

No ano passado, Manuel comprou uma casa no campo.

Manuel, no ano passado, comprou uma casa no campo.

Manuel comprou, no ano passado, uma casa no campo. 

Mas: Manuel comprou uma casa no campo no ano passado = sem vírgula porque está na ordem direta.

4. Antes dos conectivos mas, porém, contudo, pois, logo:

O garoto fez a prova, mas deixou uma questão em branco.

Mariana estudou bastante, logo, deve conseguir uma vaga na faculdade. 

5. Para isolar termos explicativos (isto é, a saber, por exemplo, digo, a meu ver, ou melhor, entre outros):

Vou citar, por exemplo, a beleza das flores como prova do amor do Criador por nós.

A explicação dada pelo professor está, a meu ver, bem completa. 

6. Para separar termos coordenados (uma lista, por exemplo):

Viajarei a Londres, Paris, Egito e Portugal no próximo ano.

Comprei no supermercado leite de coco, arroz, manteiga e amendoim. 

Acesse aqui a continuação deste curso.

Se este texto fez sentido para você, deixe um comentário e se inscreva para receber todas as atualizações deste blog.

Publicado por Sol Antônia

Sol escritora de romances, língua portuguesa e livros de autoajuda.

Um comentário em “Curso gratuito de vírgula (4)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: