Curso gratuito de vírgula (2)

Quando NÃO usar a vírgula

Regra número 1

Não se usa vírgula entre sujeito e verbo

EXEMPLOS PRÁTICOS 3

Carlos chegou mais cedo a casa.

Minha cidade favorita é Londres.

Belinha trouxe suas melhores roupas.

Todas as coisas boas que ele me fez serão sempre lembradas.

Os vegetais da feirinha do Valparaíso estão sempre frescos.

Aquela casa onde passamos a maior parte da nossa infância será demolida no próximo ano para a construção de um edifício de vinte andares.

Observe que os sujeitos das frases estão em negrito. Observe também que mesmo um sujeito de maior tamanho, como “Aquela casa onde passamos a maior parte da nossa infância”, não recebe vírgula porque esta não é obrigatória, tendo em vista, nesse caso específico, que “onde passamos a maior parte da nossa infância” é um aposto restritivo de “casa”, e apostos restritivos não vêm entre vírgulas, somente os apostos explicativos.

Dica número 2: Os termos restritivos, como o nome diz, restringem o seu antecedente, tornando-o único entre um grupo. Se saírem da frase, alteram o seu sentido. Veja:

Os alunos que participaram da brincadeira foram suspensos por cinco dias. = somente os que participaram

Os alunos foram suspensos por cinco dias. = todos

O bom filho volta para casa. = somente o bom

O filho volta para casa. = qualquer filho

A menina que eu conheci ontem estava na praça. = somente a que conheci ontem

A menina estava na praça. = qualquer menina

Dica número 3: Os termos explicativos, como o nome diz, explicam o antecedente, destacando características inerentes a ele. Veja:

Guimarães Rosa, autor de Sagarana, nasceu em Minas Gerais.

Guimarães Rosa nasceu em Minas Gerais.

= Veja que a retirada do termo explicativo não muda o sentido da frase.

O autor de Sagarana, Guimarães Rosa, nasceu em Minas Gerais.

O autor de Sagarana nasceu em Minas Gerais.

= Novamente a retirada do termo explicativo não muda o sentido da frase, pois só existe um autor de Sagarana: Guimarães Rosa.

Dica número 4: Para descobrir o sujeito da frase, pergunte QUEM, QUAL ou O QUE ao verbo.

EXEMPLOS PRÁTICOS 4

Carlos chegou mais cedo a casa.

Quem chegou? Resposta: Carlos.

Minha cidade favorita é Londres.

Qual é a minha cidade favorita? Resposta: Londres.

Belinha trouxe suas melhores roupas.

Quem trouxe? Resposta: Belinha.

Todas as coisas boas que ele me fez serão sempre lembradas.

O que será lembrado? Resposta: Todas as coisas boas que ele me fez.

Os vegetais da feirinha do Valparaíso estão sempre frescos.

O que está sempre fresco? Resposta: Os vegetais da feirinha do Valparaíso.

Aquela casa onde passamos a maior parte da nossa infância será demolida no próximo ano para a construção de um edifício de vinte andares.

O que será demolido? Resposta: Aquela casa onde passamos a maior parte da nossa infância.

É fácil, não é? No entanto, preciso lhe dizer que nem sempre o sujeito vem nessa ordem, assim, bonitinho. Por isso, fique atento às dicas a seguir.

Dica número 5: Quando o sujeito não aparece na ordem direta, segue-se a regra para o uso de vírgulas.

EXEMPLOS PRÁTICOS 5

Chegaram tarde as garotas.

Ordem direta: As garotas chegaram tarde.

A Deus eu dei graças.

Ordem direta: Eu dei graças a Deus.

No fim do evento, será oferecido um café aos convidados.

Ordem direta: Um café será oferecido aos convidados no fim do evento.

Dica número 6: Quando entre o sujeito e o verbo aparece um “encaixe”, um termo explicativo, este é separado por duas vírgulas, que devem vir antes e depois do elemento:

José Tadeu, o professor de matemática da minha filha, me convocou para uma reunião.

O professor de matemática da minha filha, José Tadeu, me convocou para uma reunião.

Perceba que, independentemente da ordem, os elementos inseridos entre os sujeitos podem ser retirados das frases sem alterar o sentido:

José Tadeu me convocou para uma reunião.

O professor de matemática da minha filha me convocou para uma reunião.

Lembro que, na primeira frase, o sujeito é “José Tadeu” e na segunda, “O professor de matemática da minha filha”. Observe que, em ambos os casos, o termo explicativo saiu da frase e ela não perdeu o sentido.

O mesmo não ocorre na frase “Aquela casa onde passamos a maior parte da nossa infância será demolida”, pois o elemento “onde passamos a maior parte da nossa infância” restringe o termo “Aquela casa” e, quando retirado, muda o sentido da frase: “Aquela casa será demolida”, ou seja, uma casa qualquer será demolida, e não aquela onde passamos a maior parte da nossa infância.

Portanto, sempre que houver um termo explicativo em uma frase, ele virá separado por vírgulas. E sempre que houver um termo restritivo, não se usam vírgulas.  

Lembre-se: O termo explicativo pode sair da frase sem prejudicar o sentido, enquanto o termo restritivo não.

Regra número 2

Não se usa vírgula entre verbo e complemento

EXEMPLOS PRÁTICOS 6

Mariana ganhou um carro novo em um sorteio.

Eu decidi investir parte dos meus recursos em ações.  

Minha filha gosta de ir à praia no verão.

A escola onde meu filho estuda passará por reforma no próximo ano.

Eu comprei à vista o imóvel que sempre quis ter.

Dica número 7: Para identificar o complemento verbal, pergunte ao verbo O QUE ou QUEM, no caso de objeto direto (OD), ou A QUE(M), DE QUE(M), POR QUE(M), EM QUE(M), etc., no caso de objeto indireto (OI).

EXEMPLOS PRÁTICOS 7

Mariana ganhou um carro novo em um sorteio.

Ganhou o quê? Resposta: um carro novo. (OD)

Eu decidi investir parte dos meus recursos em ações.  

Decidi o quê? Resposta: investir. (OD)

Minha filha gosta de ir à praia no verão.

Gosta de quê? Resposta: de ir à praia. (OI)

A escola onde meu filho estuda passará por reforma no próximo ano.

Passará por quê? Resposta: por reforma. (OI)

Eu comprei à vista o imóvel que sempre quis ter.

Comprei o quê? Resposta: o imóvel que sempre quis ter. (OD)

Regra número 3

Não se usa vírgula entre os nomes, os termos e as orações que restringem o significado desses nomes

EXEMPLOS PRÁTICOS 8

Todas as casas antigas do bairro serão reformadas.

As crianças que comem vegetais são mais saudáveis.

As pizzas de frango com catupiri são as preferidas do meu filho.

Todo homem honesto é digno de confiança.

Minha casa de praia está sempre arrumada.

A pessoa que pesquisa tem o mundo nas mãos.

Os investimentos que mais rendem são os mais atrativos.

Os candidatos que passarem nas dez primeiras vagas serão nomeados.

Todo indivíduo que tem deficiência precisa ser respeitada.

A escola onde meu filho estuda é um lugar agradável.

Perceba que as orações “que pesquisa”, “que mais rendem”, “que passarem nas dez primeiras vagas”, “que tem deficiência” e “onde meu filho estuda” restringem, respectivamente, o sentido de “pessoa”, “investimentos”, “candidatos”, “indivíduo” e “escola”.

Regra número 4

Não se usa vírgula antes de

orações subordinadas substantivas

As orações substantivas exercem a função sintática de sujeito, objeto direto, objeto indireto, predicativo, aposto e complemento nominal.

EXEMPLOS PRÁTICOS 9

Esperamos que o dia seja agradável.

Que o dia seja agradável = Oração que funciona como OD de “Esperamos”.

É preciso que a terra seja molhada para dar flores.

Que a terra seja molhada = Oração que funciona como sujeito de “É preciso”: Na ordem direta, fica “Que a terra seja molhada é preciso”.

É necessário que você venha logo.

Que você venha logo = Oração que funciona como sujeito de “É necessário”: Na ordem direta, fica “Que você venha logo é necessário”.

Creio que as coisas vão melhorar em breve.

Que as coisas vão melhorar = Oração que funciona como OD de “Creio”.

Mariana me falou que passou no curso de direito.

Que passou no curso de direito = Oração que funciona como OD de “Falou”.

Eu quero que você me compre rosas azuis.

Que você me compre rosas azuis = Oração que funciona como OD de “Quero”.

Meu desejo é que você venha.

Que você venha = Oração que funciona como predicativo do sujeito de “Meu desejo”.

Regra número 5

Não se usa vírgula antes de “porque” com sentido causal

EXEMPLOS PRÁTICOS 10

Mariana chegou cedo porque o trânsito estava livre.

Não fiz a lasanha no domingo porque estava sem vontade.

Sheila é uma excelente profissional porque se dedica ao trabalho.

Não viajarei ao Recife em dezembro porque não estarei em férias.

Meu filho não foi à escola porque hoje é feriado.

Eu não fui trabalhar porque hoje não teve expediente.

Meu local de trabalho é agradável porque é rodeado de belezas naturais.

Regra número 6

Não se usa vírgula antes de orações coordenadas ligadas pela conjunção “e” que tenham o mesmo sujeito

EXEMPLOS PRÁTICOS 11

Guilherme estuda durante a semana e joga aos fins de semana.

Eu queria ter três filhos e tive.

Os imóveis mais valorizados estão nos melhores bairros e são os mais bem-conservados.

Fui ao mercado e comprei frutas frescas.

Daniel toca e canta nos fins de semana.

Regra número 7

Não se usa vírgula antes da conjunção “e”

quando existe soma de ideias

EXEMPLOS PRÁTICOS 12

Mariana, Guilherme e Gabriel são meus filhos.  

Fui à quitanda e comprei caqui, graviola e tamarindo.

Eu escrevo romances e livros de receitas.

Minhas atividades favoritas são cantar e correr.

Regra número 8

Não se usa vírgula antes de palavras que indicam

inclusão ou reforçam o sentido de outra

EXEMPLOS PRÁTICOS 13

Meus gostos também incluem atividades de lazer.

Os cães correm até debaixo da água.

Gabriel era mesmo muito traquinas e não parava quieto enquanto comia.

Regra número 9

Não se usa vírgula antes da conjunção “nem”

EXEMPLOS PRÁTICOS 14

Cláudio não ia nem vinha. Era muito indeciso.

Eu comparecerei à festa nem que seja para lhe dar um abraço.

Carlos nem José quiseram aquele emprego.

Não falo com ele nem quero mais falar.

Regra número 10

Não se usa vírgula separando

advérbios terminados em “mente”

EXEMPLOS PRÁTICOS 15

Maria praticamente não vem mais aqui.

Aquela criança definitivamente terá que estudar muito para passar de ano.

Célia claramente queria se casar com Jorge.

Mariana entrou no quarto silenciosamente para não acordar os irmãos.

Lentamente eu me dirigia ao local onde faria a prova.  

Observação: Neste caso, você pode usar vírgula se tiver a intenção de enfatizar o que o advérbio expressa:

Rápida e faceiramente Armandinho saiu de casa.

Suas primeira e segunda escolhas eram, respectivamente, ter independência financeira e viajar pelo mundo.

Eu lhe digo, sinceramente, que agora não tenho condições de participar do projeto.

Acesse aqui a continuação deste curso.

Se este texto fez sentido para você, deixe um comentário e se inscreva para receber todas as atualizações deste blog.

Publicado por Sol Antônia

Sol escritora de romances, língua portuguesa e livros de autoajuda.

Um comentário em “Curso gratuito de vírgula (2)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: